Oitavo dia da Novena ao Espírito Santo

 oitavo dia

Oração Inicial

 

Dir.: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Todos: Amém.

Dir.: Queridos irmãos e irmãs, que a nossa novena de hoje nos ajude a abrir o coração e a mente para compreender e acolher a Palavra de Deus.

Todos: Vinde Espírito Santo, enchei os corações de vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor.

Dir.: Espírito Divino, de misericórdia infinita, peço-vos abrir o caminho da santidade, das graças divinas, da harmonia, do amor e da adoração à Santissima Trindade, da bem-aventurança para nós aqui reunidos, para nossa família, para todos aqueles que te invocam como também para todos aqueles que desconhecem e não creem na sua existência divina.

Todos: Vossa luz e graça nos façam alcançar tudo o que por bondade e misericórdia divina nos dais de presente para que o nosso amor aumente e se aperfeiçoe sempre mais, para maior amor e glorificação à SANTÍSSIMA TRINDADE por meio do Imaculado Coração da Virgem Maria.

Dir.: Dá-nos dos vossos dons e frutos. Permiti que sejamos canal da divina Caridade, templos da presença divina e mensageiros da harmonia e do amor.

Todos: Amém.

 

Dir.: Deus, vinde em nosso auxílio.

Todos: Senhor, apressai-vos em socorrer-nos.

Dir.: Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo.

Todos: Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

 

Cântico:

A nós descei, Divina Luz,

a nós descei, Divina Luz!

Em nossas almas acendei,

o amor, o amor de Jesus!

Em nossas almas acendei,

o amor, o amor de Jesus!

Dir.: Vinde, Espírito Santo, fazei-nos viver no vosso amor, para que amemos aos nossos semelhantes com o mesmo amor com que amamos a Deus.

L1: Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor.

Todos: Vinde renovai a face da terra.

(repete-se por 7 vezes)

 

Todos: Ó Maria, que por obra do Espírito Santo concebestes o Salvador, rogai por nós.

 

Reflexão:

"Não sabeis que sois templos do Espírito de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós?" - assim perguntava o Apóstolo Paulo aos cristãos de Corinto (1Cor 3,16). E ele o fazia com certa dose de espanto e admiração, pois o Apóstolo não podia compreender como uma verdade tão consoladora fosse ignorada por seus catequizados.

Infelizmente, hoje também muitos cristãos desconhecem e não vivem essa verdade. E, por não viverem a presença do Espírito em si mesmos, acabam vivendo uma vida pagã, simplesmente vazia de Deus.

Foi pelo Batismo que começamos a ser templos de Deus, pela presença da graça divina em nós. Diz o Apóstolo: "O amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado" (Rm 5,5). Quando? De modo especial quando recebemos o Batismo. Essa é a amorosa presença de Deus em nós, já que Deus é o Amor (1Jo 4,8). E que Amor! Eterno, infinito, perfeitíssimo.

Assim sendo, tudo o que Deus criou são manifestações não tanto do seu poder ou da sua sabedoria; são manifestações principalmente do seu amor. É que, sendo o Amor, Deus não se limita, não se fecha em si mesmo; pelo contrário, Ele se expande e se multiplica em toda a obra da Criação.

Fazendo-se presente em nós pelo seu amor, Deus nos distinguiu não somente por nos ter criado à sua imagem e semelhança, mas, de modo especial por nos ter elevado à condição de filhos que o seu amor adotou.

Nós sabemos que o Espírito de Deus vive em nós, para que também nós possamos amar, participando assim do amor infinito que é Deus. É com esse amor que nós amamos ao Pai que nos criou, ao Filho que nos remiu, e ao Espírito Santo que realiza a obra da nossa santificação.

Criados para o amor. Amar ao Pai e a nossos irmãos - essa devia ser a nossa vida. No entanto... temos medo de amar. Por quê? Por causa do egoísmo que nasceu em nós, após a primeira falta de nossos primeiros pais. O amor é doação, é generosidade, justamente o contrário do egoísmo que é todo mesquinhez. Daí a dificuldade que temos para amar, ou seja, para nos doarmos inteiramente a Deus e a nossos semelhantes.

Hoje fala-se muito em amor. Por quê? Simplesmente porque o amor verdadeiro quase não existe mais. O que vemos por toda a parte, embora sob as aparências de amor, não passa de puro egoísmo.

Se o amor, existe em nós, é porque nós o recebemos de Deus! É algo sagrado, que está exigindo todo o nosso respeito. E, somente saberemos respeitar o amor, se o soubermos empregar de acordo com Deus, isto é, amando ao Pai e aos nossos irmãos. Todo amor que não tiver essa direção será apenas egoísmo, já que não corresponde ao amor que Deus colocou em cada um de nós.

 

Todos: Pai nosso...

Dir. Amor infinito, com o qual o Pai nos ama, ó Espírito Santo, fazei-nos compreender a sublime grandeza desse dom do amor que recebemos de Deus! Somente assim saberemos amar ao Pai e a nossos irmãos com pureza e santidade.

Todos: Amém.

 

Dir. : Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo!

Todos: Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

 

Sugestão para praticar: “Receber, com bastante amabilidade, alguém que chegar a minha casa”.

SIGA-NOS NO FACEBOOK