A RENÚNCIA DO PAPA BENTO XVI

 papa bentoxviApós a notícia da renúncia do Papa Bento XVI que surpreendeu a todos nesta segunda-feira, 11 de fevereiro, o porta-voz do Vaticano, Padre Federico Lombardi, falou oficialmente aos jornalistas reunidos na Sala de Imprensa da Santa Sé, o seu parecer sobre a atitude do Santo Padre.

“Os cardeais escutaram o Papa sem fôlego. Creio que a maior parte dos presentes não recebeu uma informação prévia sobre aquilo que o Papa estava anunciando”, afirmou.

Ainda de acordo com o sacerdote, a decisão do Sumo Pontífice “foi pessoal, profunda e tomada em clima de oração”. Falando em relação à motivação real que levou-o a deixar o ministério petrino, Padre Lombardi afirmou que não houve outro motivo ligado à renuncia a não ser por questões de saúde e idade.

“Ele chegou à conclusão que as suas forças por causa da idade avançada não estão mais aptas para exercitar de modo adequado o ministério petrino”, enfatizou.

De acordo com Lombardi, Bento XVI ao confrontar-se com as exigências do mundo atual não se sentiu apto a dar continuidade ao cargo que exerce há quase 8 anos.

"Entre as moticações da demissão do Papa, como se notam em suas palavras, existem circunstâncias do mundo de hoje que, em relação ao passado, são particularmente empenhativas, pela rapidez e a quantidade dos eventos e dos problemas que se apresentam, e para isso, digamos que é necessária a exigência de um vigor mais forte que em tempos passados", ressaltou.

O porta-voz vaticano também explicou sobre aquilo que o Santo Padre já havia adiantado no livro de entrevistas “Luz do Mundo”, publicado em 2010, no qual ele afirmou que renunciaria caso não se considerasse fisicamente forte para dar continuidade às atividades do Pontificado.

“Pessoalmente, acolhi o anúncio da demissão do Papa com uma grande admiração, pela coragem, a liberdade de espírito e a grande consciência da responsabilidade”, disse.

 Fonte: Site Canção Nova

SIGA-NOS NO FACEBOOK