Ano da Vida Consagrada

Papa Francisco fala aos formadores de "consagrados": "não poupem tempo"

O Santo Padre aproveitou a oportunidade para agradecer aos formadores e formadoras, pelo seu serviço “humilde e discreto”

O Papa Francisco conclui suas audiências deste sábado, 11, recebendo na Sala Paulo VI, cerca de 1.400 participantes do Congresso internacional para Formadores de consagrados e consagradas. O evento foi promovido pela Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, o primeiro do gênero, realizado no âmbito do Ano da Vida Consagrada.

Após a saudação do prefeito do organismo Vaticano, o cardeal brasileiro, João Braz de Aviz, o Pontífice disse-lhes: “A vida consagrada é bela. Ela é um dos tesouros mais preciosos da Igreja, arraigado na vocação batismal! É belo ser formadores!”. Segundo Francisco, esta tarefa não seja vivida como um peso, mas como um serviço,  uma missão.

Ao ver o numeroso grupo de jovens presente na Sala Paulo VI, o Papa disse que “nem parece que há crise vocacional”, não obstante sua clara diminuição na Igreja que, segundo o Francisco, torna ainda mais urgente a tarefa da formação à Vida Consagrada.

No entanto, o Pontífice expressou sua convicção de que não haveria crise vocacional, se os consagrados fossem capazes de transmitir, com o testemunho pessoal, a beleza da consagração. Daí, a importância da missão dos formadores mencionada pelo Santo Padre:

“Vocês não são apenas mestres, mas, sobretudo, testemunhas da sequela de Cristo, segundo seu próprio carisma, que pode ser redescoberto mediante a alegria de ser discípulos de Jesus. Por isso, cuidem sempre da sua formação pessoal, que nasce de uma forte amizade com o único Mestre”, disse.

O Santo Padre finalizou o discurso agradecendo aos formadores e formadoras, pelo seu serviço “humilde e discreto, pelo tempo que dispensam à escuta, ao acompanhamento e ao cuidado dos jovens”. E exortou: “não poupem tempo e nem energia nesta missão. Não desanimem diante dos insucessos e da falta imediata de resultados. Saibam que Jesus os acompanha sempre com amor e a Igreja lhes é agradecida!”, concluiu.

Da redação, com Rádio Vaticano

 

SIGA-NOS NO FACEBOOK